Uma mulher foi realmente presa em MS por vender espetinho de cachorro?

16/05/2018 14:23 Região
Uma mulher foi realmente presa em MS por vender espetinho de cachorro?
Uma mulher foi realmente presa em MS por vender espetinho de cachorro?

Uma mulher que teria sido presa no bairro Moreninhas, em Campo Grande, por matar cachorros e vender espetinhos feito com a carne dos animais. Ela seria a maior fornecedora de espetinhos da cidade e região. A data não é precisa, nem o nome da acusada ou mesmo o boletim de ocorrência que registrou a prisão.

Para reforçar a notícia, que ganhou corpo nos grupos de WhatsApp, uma imagem impactante de cães pendurados em alças como se estivessem em açougues. Fotos de pedaços de carne espalhados pelo chão de uma casa e de um cão morto tendo o couro retirado. Por fim, a imagem de uma mulher negra sendo presa, com policiais militares ao fundo.

Todos os elementos desta denúncia fazem com que chegue a tremer o dedo de compartilhar a mensagem ao maior número de pessoas possível. Mas, é que tem um detalhe: a notícia é mais falsa que nota de três reais. E, mesmo assim, circulou em Campo Grande, nos últimos dias, como se fosse verdade absoluta.

A reportagem, que diariamente monitora as ocorrências criminais da cidade e do Estado, não encontrou qualquer vestígio de prisão decorrente de “venda de carne de cachorro”, “maus tratos contra animais” ou coisa do tipo nos últimos dias, conforme alardeia a mensagem.

Mas, nem era preciso ir tão longe: as imagens compartilhadas fazem parte de um boato antigo que só muda de endereço e que ressurge de tempos em tempos.

Campo Grande não foi o único alvo do falso boato. Há registros jornalísticos do mesmo suposto fato em diversas cidades do Brasil, bem como um bom artigo do portal E-Farsas, especializado em desvendar boatos na Internet, que explicam tim-tim por tim-tim porque não existe mulher presa por matar cães e vender a carne em cidade alguma do Brasil.

Segundo o portal, as fotografias nem sequer foram tiradas no Brasil. A dos animais pendurados pelo focinho é de 2013, tirada no Vietnã. Já a que traz carne espalhada pelo chão diz respeito a boato semelhante na Índia em… 2017. Já a do cão sendo tendo o couro retirado é bem antiguinha, pelo menos desde 2015 circula na web. Ou seja: o boato é, sem dúvidas, falso!

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.