Sem cumprir obrigações, MSVia vê movimento e receita crescerem

Greve dos caminhoneiros não prejudicou concessionária, que teve faturamento 8% maior no 2º trimestre
10/09/2018 06:25 Região
Veículos comerciais, sobretudo caminhões, foram os responsáveis pelo movimento maior na BR-163 no primeiro semestre - Valdenir Rezende / Correio do Estado
Veículos comerciais, sobretudo caminhões, foram os responsáveis pelo movimento maior na BR-163 no primeiro semestre - Valdenir Rezende / Correio do Estado

Mesmo em meio à greve dos caminhoneiros, manifestação que reduziu drasticamente o fluxo de veículos nas rodovias brasileiras no último mês de maio, a MSVia, que administra a BR-163, foi a única subsidiária do grupo CCR a constatar aumento no movimento, e reforço na receita com a cobrança de pedágio. 

O faturamento no segundo trimestre deste ano, quando as nove praças da empresa arrecadaram R$ 64,4 milhões, foi 8% maior que no mesmo período do ano passado, quando a receita foi de R$ 59,7 milhões. Os bons números contrastam com as dificuldades alegadas pela empresa para prosseguir com as obras de duplicação da via. 

No semestre, os números também são positivos e os porcentuais apresentados pela  MSVia superiores aos de grandes rodovias operadas pelo grupo, como o complexo Anhanguera-Bandeirantes, em São Paulo, e a Via Dutra, que liga a capital paulista ao Rio de Janeiro (RJ). A receita no primeiro semestre deste ano na estrada sul-mato-grossense foi de R$ 136,2 milhões, 9,8% a mais que os R$ 124,1 milhões do mesmo período de 2017. 

O volume de veículos que passou pelas praças de pedágio da BR-163 nos primeiros seis meses deste ano foi de 20.766.527, quantia 2,8% maior que os 20.206.727 do primeiro semestre de 2017. 

Fonte: Correio do Estado/Eduardo Miranda

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.