Promotor de festa onde Luana foi morta com garrafada some e não vai à delegacia

Ele deve ser intimado formalmente para prestar esclarecimentos
08/11/2019 15:52 Policial
Luana Farias morreu após ser atingida por estilhaços de uma garrafa (Reprodução, Memorial Facebook)
Luana Farias morreu após ser atingida por estilhaços de uma garrafa (Reprodução, Memorial Facebook)

A Polícia Civil segue nas investigações da morte de Luana Farias, de 20 anos, a acadêmica de Direito que morreu após ser atingida por garrafada em uma festa na madrugada de domingo (3). O presidente da associação de bairro onde aconteceu a festa prestou esclarecimentos à polícia na quinta-feira (7).

A delegada Célia Maria, titular da 4ª Delegacia de Campo Grande, disse ao Jornal Midiamax que o presidente da associação foi depor na quinta-feira e contou que alugou o espaço para o organizador da festa por R$ 1 mil. Ele é responsável pelo espaço, mas afirmou não saber que a festa seria aberta, porém testemunhas disseram que o viram no evento.

No entanto, segundo testemunhas, um flyer foi entregue pelo bairro e foi feita divulgação do evento, que aconteceria na sexta-feira (1º). A Polícia Militar acabou proibindo que o evento fosse realizado naquele dia, então foi transferido para o sábado (2). Por conta do transtorno, a organização teria oferecido bebidas alcoólicas gratuitamente até as 23 horas.

Há informação de que havia adolescentes na festa e todas as informações serão repassadas para a Deops (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social), que tratará das investigações sobre o evento. O organizador foi intimado por telefone, mas não procurou a delegacia e também parou de atender as ligações.

Conforme a delegada, será pedida informação sobre o endereço do rapaz para a empresa de telefonia, para que ele seja intimado formalmente. Ainda segundo ela, qualquer pessoa que tenha sofrido perturbação por conta da festa que ocorreu no dia 2 na região do Universitário pode procurar a 4ª DP para registrar um boletim de ocorrência.

Catador de latinhas é encontrado morto e suspeita é de…

Açougueiro foi morto porque não quis entrar para o PCC,…

Dupla gritou ‘aqui é do Comando’ após executar açougueiro a…

Luana morreu após ser atingida por estilhaços de vidro após a briga generalizada com garrafadas durante a festa no bairro Universitário. Segundo a polícia, a jovem foi atingida na artéria do pescoço, perdeu muito sangue e não resistiu. Um adolescente de 15 anos foi apontado como suspeito do crime e a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude) deve prosseguir com as investigações.

A vítima foi ao local com o marido e alguns amigos. Na festa, com cerca de 250 pessoas, estavam o adolescente de 15 anos com a namorada adolescente e também o ex-namorado dessa menor de idade. O ex-namorado teria visto a ex beijando o adolescente de 15 anos.

“O ex vai até o local e começa uma briga, quando o adolescente de 15 anos dá uma garrafada nesse ex e sai do local”, explica a delegada Maria Célia. Os estilhaços da garrafa atingiram Luana do lado esquerdo do corpo, no pescoço, face e braço. A jovem teria desmaiado e quando o marido a viu ferida, teria visto um rapaz parecido com o suspeito e então deu um soco nele.

“Ele deu um soco em um rapaz para parar a confusão, depois pegou a Luana, colocou no carro e levou até a UPA do Universitário”, conta Célia Maria. No entanto, os estilhaços atingiram uma artéria carótida, sendo que a menina perdeu muito sangue e morreu antes de dar entrada na unidade de saúde.

Fonte: Renata tela / Midiamax

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.