Polícia apura se ataque a banco em MG tem relação com crimes em Chapadão

Quadrilha fortemente armada explodiu agência do Banco do Brasil em Frutal; dois bandidos e uma moradora morreram
08/11/2018 17:15 Policial
Armas apreendidas pela PM mineira após ataque a banco em Frutal; crime pode ter relação com assaltos a bancos em Chapadão. (Foto: PMMG/Divulgação)
Armas apreendidas pela PM mineira após ataque a banco em Frutal; crime pode ter relação com assaltos a bancos em Chapadão. (Foto: PMMG/Divulgação)

Dois assaltantes e uma vítima foram mortos na madrugada desta quinta-feira (8) em Frutal (região do Triângulo Mineiro), durante ataque a uma agência do Banco do Brasil no município. Suspeita-se que os criminosos integram a quadrilha que, na noite anterior, explodiu caixas eletrônicos de dois bancos e invadiram duas lojas em Chapadão do Sul –a 321 km de Campo Grande e 441 km da cidade mineira.

O delegado Fábio Peró, que está com equipes da Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros) em Chapadão do Sul, informou que já contatou autoridades que apuram o assalto em Frutal para confirmar se os crimes foram cometidos pelo mesmo grupo. Em minas, a Polícia Federal assumiu as investigações e, com apoio de outras forças de segurança, segue em buscas por assaltantes na região.

Peró deve enviar munições apreendidas em Chapadão à PF mineira, para verificar se foram disparadas pelas mesmas armas usadas no assalto em Frutal. Da mesma foram, pretende cruzar informações dos telefones celulares apreendidos com os assaltantes mortos para confirmar se os aparelhos foram usados na cidade sul-mato-grossense.

Se for confirmado que o grupo criminoso é o mesmo, o delegado do Garras afirma que irá a Minas ouvir alguns dos suspeitos já presos. “Tem coisas semelhantes, como os calibres do armamento utilizado, e outras diferentes. Tem veículos usados lá que foram visto na cena aqui. Veículos semelhantes, mesma cor, mesmo modelo”, afirmou.

Ataque – Segundo informações do jornal Estado de Minas, sete veículos se aproximaram de uma agência do Banco do Brasil em Frutal. Policiais militares acreditam que mais de 15 bandidos participaram da ação. Vídeos em redes sociais mostram criminosos armados e encapuzados nas ruas.

Houve troca de tiros com policiais e dois assaltantes morreram. Claudineia Aparecida da Silva, 42, teria sido baleada quando criminosos roubaram o seu veículo para fugir. Ela foi levada para o hospital, mas não resistiu. Outra pessoa foi atingida por uma bala perdida no pé, sendo socorrida por populares.

Policiais da região de Frutal foram mobilizados para caçar os criminosos. Um suspeito foi preso em um hospital no município de Planura, quando buscou socorro devido a um ferimento de arma de fogo e suas explicações não foram consideradas convincentes: ele informou que era de Ribeirão Preto (SP) e estava na região para comprar porcos. Ele tinha antecedentes por assalto a banco e não levava documentos, conforme a PM mineira.

Outro integrante da quadrilha foi preso em Planura, escondido em uma mata. Na zona rural do município, também foi encontrada uma caminhonete que levava, na traseira, equipamento de serralheria elétrica e rádios de comunicação usados para ouvir a frequência da polícia. Seguem buscas por um terceiro assaltante que estaria no local. Em Frutal, a PM apreendeu parte das armas usadas pelos bandidos.

Chapadão – Em Chapadão do Sul, os assaltos às agências bancárias e duas lojas deixaram um rastro de destruição na região central da cidade. Os bandidos chegaram em pelo menos cinco veículos à região dos bancos –que ficam a menos de 300 metros de distância. Moradores relataram terem ouvido vários tiros disparos por bandidos em diferentes regiões da cidade.

O assalto ocorreu no mesmo dia em que seria liberado o pagamento de operários que atuam na obra de uma hidrelétrica e de usinas sucroalcooleiras. Na agência do Banco do Brasil, foi explodido o cofre principal e um caixa eletrônico. Na Caixa Econômica Federal, todos os caixas e cofres foram atacados –uma loja de roupas e uma ótica também se tornaram alvos da quadrilha.

Cartuchos de pistola 9mm, munições calibre 556 e também 7,62 por 39 mm - usado em fuzil AK-47 - foram localizados em vários locais da cidade. Policiais de toda a região e da Capital foram mobilizados para investigar o crime.

Fonte: Humberto Marques e Geisy Garnes / Campo Grandes News

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.