Dono de “posto clandestino” chegava a lucrar 100% com álcool furtado

11/01/2018 15:44 Policial
Esquema foi desarticulado pela Defron - Crédito: Osvaldo Duarte
Esquema foi desarticulado pela Defron - Crédito: Osvaldo Duarte

O esquema de furto de combustíveis realizado pela quadrilha desarticulada por policiais da Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira), na manhã desta quinta-feira (11), em Nova Alvorada do Sul, rendia até 100% de lucro ao receptador dos produtos.

Valdeci Duarte Pacheco, 54, comprava o álcool ao preço de R$ 1,50 e revendia a até R$ 3, “dependendo do cliente”, contou. Ele é o proprietário do sítio Portão do Paraíso, localizado no Km-228 da BR-267.

O homem foi preso em flagrante junto de Roberto Carlos da Silva Queiroz, 49, Carlos Antônio Bonfim, 50 e Wilson Cardoso dos Santos, 39, todos moradores em Campo Grande e motoristas dos veículos apreendidos com carga de combustível.

Conforme as investigações, cada motorista detido deixava, em média, 100 litros do produto durante as paradas no local, que funcionava como uma espécie de posto de combustíveis clandestino. 

Como trabalham por escala carregando álcool em usinas na região, as 'visitas' ao sítio ocorriam em torno de três vezes na semana, podendo chegar a 3,6 mil litros do produto desviado ao mês.

Ainda de acordo com a polícia, Valdeci comercializa os combustíveis na região há pelo menos três anos.

Todos foram autuados em flagrante pelos crimes de furto qualificado e associação criminosa.

As investigações da Defron continuam e não está descartada a participação de outros integrantes no esquema.
Os quatro presos serão encaminhados a Polícia Civil de Nova Alvorada do Sul.

Aproximadamente 50 galões foram apreendidos e vários outros encontrados na propriedade rural.

 

Fonte: Dourados News/ Adriano Moretto e Osvaldo Duarte

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.