Juiz da Capital despede-se da magistratura após 20 anos de judicatura

Em Campo Grande, Zidiel atuou na Vara da Justiça Militar Estadual, na 15ª Vara Cível, na Vara de Execução Penal do Interior, na 5ª Vara Cível e na 3ª Vara de Fazenda Pública e Registros Públicos.
06/02/2020 08:08 Justiça
O juir Zidiel Infantino Coutinho que teve o pedido de aposentadoria aprovado na sessão desta quarta-feira (5) - (Foto: Arquivo)
O juir Zidiel Infantino Coutinho que teve o pedido de aposentadoria aprovado na sessão desta quarta-feira (5) - (Foto: Arquivo)

"E lá se vão alguns anos...uma longa trajetória de profissionalismo, aprendizado, companheirismo, amizade, uma verdadeira família, afinal de contas temos muitas histórias pra contar. O cuiabano que acolheu o conterrâneo na comarca de Costa Rica e desde então as vidas se entrelaçaram - uma nova fase em ambas famílias iniciou-se".
 
As palavras de carinho são do amigo e colega de magistratura Atílio Cesar de Oliveira Jr. para Zidiel Infantino Coutinho, juiz designado para atuar na 3ª Vara de Fazenda Pública e Registros Públicos da Capital que teve o pedido de aposentadoria aprovado na sessão desta quarta-feira (5) pelos desembargadores do Órgão Especial.
 
Nascido em Cuiabá (MT), Zidiel ingressou na magistratura sul-mato-grossense em novembro de 1999, na 2ª Circunscrição. Em maio de 2000 foi promovido para judicar em Deodápolis e, em março de 2001, uma nova promoção levou-o para a 1ª Vara da comarca de Costa Rica, como juiz de 2ª entrância. Foi diretor do Foro.
 
"Os conselhos, os exemplos, os pensamentos divididos e compartilhados andavam lado a lado. Ríamos e pensávamos estar distante uma, até então, suposta aposentadoria, no entanto, a hora chegou. Mas a hora de quê? De parar? Parar com o quê? Zidiel jamais para, seu conceito de aposentadoria é viver a vida. Não são 700 km de distância entre Campo Grande e Cuiabá que fará uma separação da família, da NOSSA FAMÍLIA", garantiu Atílio.
 
Em maio de 2006, Zidiel foi removido para São Gabriel do Oeste, contudo, por permuta, uma nova remoção permitiu que judicasse em Camapuã, comarca onde foi diretor do Foro mais de uma vez. Em julho de 2014, foi promovido a juiz auxiliar - entrância especial e veio para a Capital. E foi em Campo Grande que as amizades com os colegas tonaram-se mais fortes.
 
"Para o  verdadeiro cuiabano é sempre "bem ali", "rapidinho", e assim a dedicação ao próximo é incondicional, seja qual for esse próximo. A bondade e tamanho do coração é imensurável. Alguém tem outro amigo que em todos os aniversários canta "parabéns pra você", inteiro? Eu tenho. Antes mesmo de surgir uma música famosa, já aprendemos com esse "cara" que temos que "sorrir e abraçar nossos pais enquanto estão aqui, que a vida é trem bala, parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir"; que como tratamos nossos pais, é como nossos filhos vão nos tratar. Mas a vida é assim, uma verdadeira aquarela onde girando um simples compasso se desenha o mundo...e lá se vão alguns anos... mas com toda certeza, não nos dará tempo pra dizer "ai que saudade d?oceis"... que venham mais anos", finalizou o amigo.
 
Em Campo Grande, Zidiel atuou na Vara da Justiça Militar Estadual, na 15ª Vara Cível, na Vara de Execução Penal do Interior, na 5ª Vara Cível e na 3ª Vara de Fazenda Pública e Registros Públicos, a qual assumiu em fevereiro de 2018.
 
A juíza Mariel Cavalin dos Santos, da 16ª Vara Cível de Competência Residual da Capital, é outra a sentir a aposentadoria de Zidiel. Ela ingressou na magistratura no mesmo concurso que Zidiel. Ela garante que a aposentadoria prematura do colega abrirá uma lacuna desmedida no Poder Judiciário de MS por ser ele um magistrado comprometido com a missão de decidir, preocupado com as partes envolvidas nos processos, assim como com os servidores nas comarcas em que judicou.
 
"Ser humano sereno, paciente, de fala mansa e acolhedora. Que a despedida do querido colega se resuma apenas à conclusão de um ciclo profissional em sua vida e recomeço de outro. Em singelas palavras, desejo que se aposente e dedique-se àquilo que o coração lhe indicar doravante, permanecendo por mais tempo junto à sua família, que não se aposente, porém, das amizades conquistadas no decorrer desta profícua carreira construída ao longo de 20 anos".
 
Para o presidente do TJMS, Des. Paschoal Carmello Leandro, é natural que um juiz deseje aposentar-se depois de tantos anos dedicados à magistratura, o que não torna sua saída da ativa menos sentida por quem não mais conviverá com ele diariamente.
 
"Zidiel sempre foi um juiz zeloso, discreto e muito querido pela comunidade jurídica por sua capacidade profissional e seu lado humano. Desejamos que sua nova caminhada seja tão exitosa quanto a que construiu enquanto dedicava seu tempo aos jurisdicionados. Ele será bem sucedido no que fizer, temos certeza disso. Saiba, Zidiel, que os novos desafios começam agora e você será plenamente capaz de vencê-los. Seja feliz!".
 
O presidente da Amamsul, juiz Eduardo Siravegna, também lamentou a aposentadoria do colega, contudo entende sua vontade de passar mais tempo com a família, já que se dedicou por duas décadas na distribuição da justiça, sempre tentando estender o melhor da justiça ao jurisdicionado.
 
"Zidiel, amigo de todas as horas, que dedicou mais de 20 anos de sua vida à magistratura, certamente fará falta no dia a dia forense. Contudo, é incontroverso que cumpriu sua missão, contribuindo para o engrandecimento da magistratura sul-mato-grossense. A Amamsul deseja pleno êxito em sua nova jornada", despediu-se.

Fonte: acritica.net

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.