Vereador Ney Bulla repudia projeto de lei que reduz os salários dos professores convocados de MS

"Eu, Ney Bulla, estou enviando um ofício ao presidente Jeovani Vieira dos Santos, no intuito de repúdio a este projeto, que não podemos aceitar na mesma categoria existir divisões salariais e que o presidente possa se manifestar e enviar nota de repudio a este projeto', explicou o vereador.
11/07/2019 14:43 Itaporã
O vereador Ney Bulla divulgou uma nota de repudio ao projeto de lei referente à redução dos salários dos professores convocados.
O vereador Ney Bulla divulgou uma nota de repudio ao projeto de lei referente à redução dos salários dos professores convocados.

O vereador Ney Bulla divulgou uma nota de repudio ao projeto de lei do governo estadual, referente à redução dos salários dos professores convocados, dizendo: “Como pode na mesma categoria haver dois pesos e duas medidas”.

Confira na integra a nota:

Venho através deste meio de comunicação repudiar o projeto de lei do governo estadual, projeto este que irá diferenciar o salário do professor (a) concursado e convocado, ou seja, vamos ter dois pesos e duas medidas na mesma categoria, deixo aqui o meu protesto de repudio a este projeto que é inconstitucional pelo seguinte fato de uma mesma categoria não poderá haver divisões salariais. 

Como pode um professor (a) convocado receber menos que um colega de profissão que seja concursado, em pleno século XXI, está acontecendo um retrocesso e ferindo a democracia deste país, não podemos aceitar divisões salariais de uma mesma categoria.

Como vereador deste município de Itaporã e sendo Diretor de Assuntos Municipais da União das Câmaras de Mato Grosso do Sul (UCVMS), tenho que me manifestar contra ou favor, não posso ficar em cima do muro e minha opinião é de repúdio a este projeto. 

Apoiei o governador Reinaldo Azambuja e o deputado estadual Zé Teixeira, ambos na sua reeleição, mas não posso me omitir e de opinar neste caso, pois, este projeto fere a educação deste país. Quando a projetos que sejam benéficos sou de parabenizar, mas quando também a projetos que discordo não posso me omitir, não é porque apoiei ambos em vossa reeleição que não venho a público deixar a minha nota de repúdio. 

A ideia do governo é economizar mais de R$ 130.000.000,00 (cento e trinta milhões de reais), sendo que o professor concursado ganha hoje por 40 horas é de 4.065,92, sendo este projeto proposto pelo governo estadual que o professor (a) convocado irá receber 70% do valor do professor concursado, mesmo que ainda os convocados terão o contrato anual e a forma de processo seletivo. Quanto ao modo de ser por processo seletivo até concordo, mas jamais na mesma categoria ter diferenças salariais, e receber menos que um colega de profissão que seja concursado. 

Eu, Ney Bulla, estou enviando um ofício ao presidente Jeovani Vieira dos Santos, no intuito de repúdio a este projeto, que não podemos aceitar na mesma categoria existir divisões salariais e que o presidente possa se manifestar e enviar nota de repudio a este projeto.

Tem vários projetos e frente de trabalho que o governo estadual fez em MS e em Itaporã foi realizado grandes investimentos, como também o deputado estadual Zé Teixeira tem grandes trabalho prestado em todo estado de MS e também em nosso município, ambos apoiei para a reeleição em 2018, mas neste caso deste projeto deixo o meu repúdio.

Externo aqui a minha gratidão aos professores (as), sejam eles concursados ou convocados, sei da luta de todos, do sacrifício que é desde a sua formação até o dia a dia em uma sala de aula. Espero que o governo estadual, juntamente com a secretaria de educação, possa reavaliar este projeto e equiparando os salários e benefícios dos convocados igualmente aos professores concursados, mesmo que os professores convocados sejam por processo seletivo, mas que não haja diferenças salariais na mesma categoria.

 

Fonte: Assessoria

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.