Excesso de velocidade pode ter causado acidente que matou universitárias na MS-157, Itaporã a Maracaju

Estariam acima de 100km/h em trecho de curva
11/06/2019 11:51 Itaporã
(Foto: Adilson Rodrigues)
(Foto: Adilson Rodrigues)

Está em fase de conclusão o laudo o acidente que matou Letícia Rodrigues e Thaline Escobar, ambas de 22 anos, na noite do dia 7. O acidente entre o carro em que estavam as jovens e uma van aconteceu na Rodovia MS-157, próximo de Itaporã.

A princípio, a informação passada pela Perícia à Polícia Civil é de que o carro que levava as jovens estaria muito acima da velocidade permitida no local. Segundo o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil de Itaporã, Rauali Mascarenhas, a colisão entre carro e van aconteceu em uma curva.

Ainda conforme o delegado, na curva a velocidade permitida seria de aproximadamente 40km/h, mas o velocímetro do carro das vítimas estaria marcando mais de 100km/h. A polícia acredita que a condutora do Palio preto, placas de Maracaju (MS), pode ter invadido parte da pista contrária na curva, por conta da velocidade, causando a colisão.

Os fatos ainda serão confirmados no laudo pericial, mas a princípio não haveria marca de frenagem no local. Um animal morto também foi encontrado nas margens da pista, mas não teria qualquer ligação com o acidente. “Não havia destroços do carro no animal e ele já estava em avançado estado de decomposição”, afirmou o delegado.

O caso segue em investigação e é tratado como homicídio culposo, quando não há intenção, na direção de veículo automotor. As vítimas do acidente seguiam para Maracaju, onde Letícia faria uma surpresa para a família, após ter o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) aprovado. As vítimas cursavam Direito em Dourados.

Foto: Reprodução

Fonte: Midiamax/Renata Portela

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.