Cuca defende Bryan Ruiz após estreia apagada: ‘Tudo precisa de tempo’

O treinador disse que o costarriquenho sequer sabia o nome de seus companheiros em campo
09/08/2018 08:24 Esporte
© Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
© Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

O técnico Cuca defendeu o meia Bryan Ruiz após a estreia apagada do costarriquenho no empate por 1 a 1 do Santos contra o Ceará, nesta quarta-feira, no estádio Presidente Vargas, em Fortaleza. O jogo foi antecipado da 20ª rodada do Campeonato Brasileiro por causa do duelo da equipe paulista diante do Independiente (ARG) no próximo dia 21, pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Cuca voltou do intervalo com o camisa 22 no lugar de Diego Pituca. O costarriquenho errou passes curtos e demonstrou muita lentidão em campo, perdendo a bola com facilidade para o adversário.

O treinador lembrou o que havia dito em outras entrevistas: que Bryan Ruiz, Carlos Sánchez e Derlis González precisam se adaptar ao país e conhecer o elenco santista. Cuca disse que o costarriquenho sequer sabia o nome de seus companheiros em campo.

"Estão acontecendo coisas no Santos hoje que não podemos cobrar de jogadores, não dá. Como vou cobrar do Bryan se ele nem sabe o nome dos companheiros ainda? Imagine onde o companheiro gosta de jogar. Ou do Sanchez que fez a segunda partida:? Ou do Derlis que jogou 15 minutos? São situações atípicas que estão ocorrendo, de estrearem no meio da competição. E jogadores de outra nacionalidade, o que dificulta muito mais. Precisa ser consciente , temos que poupar os jogadores com relação as críticas. Tudo na vida precisa de tempo e com eles não é diferente", afirmou Cuca.

"Baseado no que acabei de falar. Você vai para um outro país, nem o nome do companheiro sabe direito, e temos que colocá-lo? Estou falando: 'calma que não é a hora, calma que não é a hora'. Então, temos que ter paciência, se não daqui a pouco queima todo mundo. Eu vou proteger os caras porque eles não têm culpa. Estão dando a cara a tapa. Se fossem maus profissionais, nem entravam, falariam que não sabiam nem o nome do companheiro e pronto. Temos que ter um rumo e esse rumo vamos fazer para conseguirmos jogos melhores para sairmos dessa situação o quanto antes", completou.

Na parada da Copa do Mundo, o Santos contratou o trio estrangeiros. Bryan Ruiz fez sua estreia, enquanto Carlos Sánchez já foi titular em dois jogos: empate com o Botafogo (0 a 0) e Ceará (1 a 1). O uruguaio também teve atuação discreta nesta quarta-feira, em Fortaleza, e por isso foi substituído por Gabriel Calabres. Já Derlis González participou de poucos minutos do empate contra os cariocas no último fim de semana.

Cuca, assim como os atletas do Santos, reconheceu a superioridade do Ceará em campo. Para ele, o resultado foi injusto pois os cearenses foram melhores nos dois tempos de jogo.

"Acho que foi um placar injusto na minha maneira de ver. O futebol você sabe como é, né? No futebol você precisa converter chances, matar jogos, principalmente contra equipes grandes, porque uma chance acaba tomando o gol. Hoje aconteceu com o Ceará. O primeiro tempo do Ceará foi muito melhor e o segundo tempo do Ceará foi um pouco melhor. Eles foram melhores que o Santos e mereciam vencer, mas conseguimos empatar no final em uma das poucas chances que tivemos", disse Cuca.

"Até poderíamos ter saído na frente, mesmo não jogando bem, tivemos uma chance com o Bruno Henrique, que o goleiro pegou bem. Mas no geral o Ceará jogou melhor, poderia ter vencido. E está com moral, é uma equipe que depois da Copa jogou quatro jogos, perdeu um para o Inter e venceu as outras, um dos melhores aproveitamentos pós-Copa, com campo cheio, vento a favor, diferente do que o Santos está vivendo hoje, que é o vento contra, buscando aquela vitória que dá uma autoconfiança aos meninos. É um time jovem. Hoje o empate nos cai bem e saímos da zona do rebaixamento, ainda que seja um ponto, emocionalmente é importante, mas temos que melhorar muito", concluiu.

O empate, alcançado com gol de peito de Jean Mota aos 41 minutos do segundo tempo, foi muito importante para o Santos. O gol tirou a equipe santista da zona de rebaixamento, com 18 pontos, na 15ª colocação.

Após enfrentar o Ceará, o Santos volta campo no próximo domingo, quando encara o Atlético-MG, às 11h (de Brasília), no estádio Independência, em Belo Horizonte, válido pela 18ª rodada do Brasileirão. Com informações da Folhapress.

Fonte: Folhapress

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.