Suinocultura avança e puxa geração de empregos em Dourados

Setor tem forte presença na economia com frigoríficos de suínos e abre vagas para novos trabalhadores
29/01/2020 19:14 Economia
Estado tem mais de 74 mil matrizes de suínos em produção e deve ampliar volume este ano. (Arquivo)
Estado tem mais de 74 mil matrizes de suínos em produção e deve ampliar volume este ano. (Arquivo)

Dourados registrou no ano passado, o 9º maior saldo de empregos do País com 6.208 novas vagas. Deste montante uma boa parte foi gerado pela cadeia da suinocultura. Hoje, um frigoríico do município está selecionado candidatos para mais 150 vagas.

O avanço do setor é amplamente incentivado pelo Governo do Estado, por meio da política de desenvolvimento econômico que visa a diversificação da matriz econômica estadual.

A expansão da suinocultura está ligada aos incentivos dados para que novos produtores entrem no setor e indústrias se instalem no Estado. Além disso, o Governo do Estado reativou a Câmara Setorial da Suinocultura que fomenta a discussão entre todos os elos da cadeia, dando voz ao produtor e a indústria na mesma intensidade.

Hoje o Estado tem quase 74 mil matrizes distribuídas em 34 propriedades, além de crechários em 21 propriedades, com capacidade para 127 mil cabeças e terminação em 287 locais com capacidade para 681 mil cabeças. Em 2018 o Estado alcançou a maior produtividade do país. A previsão é de que em 2023, o Estado esteja abatendo 10 mil de animais nas duas unidades frigoríficas em MS.

Neste ano, a atuação do Governo do Estado será intensificada com a reformulação do Programa Leitão Vida, elaborado para incentivar a produção de suínos, remunerando o produtor pela qualidade entregue ao frigorífico. O programa segue a linha de sucesso do Precoce MS, voltado à produção de gado precoce e que beneficia centenas de produtores.

Os programas de incentivo à produção são conduzidos pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) e o titular Jaime Verruck destaca o desafio do produtor de trabalhar de forma limpa e sustentável.

“No caso do Leitão Vida, temos um conjunto de mudanças que foram amplamente debatidas no âmbito da Câmara Setorial da Suinocultura. Governo e produtores entraram em um consenso de que era necessária a modernização do programa e a inclusão de critérios de sustentabilidade representa um avanço fundamental, pois todos se beneficiam”, explica o secretário.

O Governo também trabalha para estar atento as novas exigências sanitárias e assim abrir novos mercados mundiais. Nesse quesito, destaque para a conquista do status de área livre da peste suína clássica e a atuação dentro do PNEFA (Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa).

Modernização - O decreto nº 15.342, de 30 de dezembro de 2019 atualiza “os índices de produtividade e os incentivos concedidos para cada modalidade da produção de suínos, no Subprograma de Apoio à Criação de Suínos de Qualidade e Conformidade “Leitão Vida”, no âmbito do Programa de Avanços na Pecuária de Mato Grosso do Sul (PROAPE)”.

 

O novo modelo do Leitão Vida foi um dos atrativos que o Governo do Estado levou para a mesa de negociação com potenciais investidores no Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura (Siavs), realizado em agosto do ano passado e que gerou expectativa de R$ 1 bilhão em investimentos na suinocultura do Estado para este ano.

Através do programa receberão incentivo financeiro, os produtores que adotarem modernas técnicas de criação, contribuindo para a produção de animais de qualidade, utilizando as boas práticas em biossegurança, bem-estar e saúde animal e sustentabilidade ambiental.

Fonte: Rosana Siqueira / Campo Grandes News

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.