"Proibida" de baixar nos postos, gasolina está 45% mais barata nas refinarias

28/03/2020 14:14 Economia
"Proibida" de baixar nos postos, gasolina está 45% mais barata nas refinarias

Após nove reduções do preço da gasolina nas refinarias anunciadas neste ano pela Petrobras, o motorista não vê a queda chegar às bombas nos postos de combustíveis. Para analistas do setor que observam a dificuldade de o benefício alcançar o bolso da população, só o encolhimento da demanda nos revendedores, como resultado do impacto do novo coronavírus sobre a economia, deverá baratear a gasolina no varejo nos próximos meses.

A Petrobras informou às distribuidoras que vai reduzir, a partir de sábado (28) nas suas refinarias, o preço da gasolina em 5%. Esta é a quarta queda do combustível no mês de março. O diesel também sofreu reajuste, com queda de 3%, e o bunker (diesel marítimo) de queda de 3,1%.

O diesel utilizado pelas térmicas também foram ajustados. O S500 caiu 3,1% e o S10, de maior qualidade, caiu 3,2%.

De acordo com a consultoria INTL FCStone, a redução foi linear para todas as praças.

O preço da gasolina vai cair R$ 0,0566 centavos e o diesel, R$ 0,0498 centavos. A queda dos combustíveis segue a desvalorização do preço do petróleo no mercado internacional e já acumula mais de 45% no ano.

MATO GROSSO DO SUL

O repasse de ajustes dos combustíveis nas refinarias para o consumidor final nos postos não é imediato e depende de diversos fatores, como consumo de estoques, impostos, margens de distribuição e revenda e mistura de biocombustíveis. A mais nova desculpa agora é o Coronavírus.

Postos de combustíveis pelo país já sentem queda importante na demanda, em meio a medidas de isolamento social praticadas por autoridades e sociedade em geral para evitar a proliferação do novo coronavírus.

No caso do preço do diesel, a petroleira não realizou ajuste nesta quarta-feira. Mas o combustível fóssil vendido pela companhia acumula recuo de aproximadamente 30% neste ano até o momento.

ICMS DO ALCOOL BAIXOU

Os donos de redes de postos de combustíveis de Mato Grosso do Sul, não repassaram a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o etanol aos consumidores de forma integral. Para conferir, basta ver que os preços do Etanol estão acima de 70%, se comparado com o da gasolina. 

Em fevereiro, com o objetivo de incentivar o uso do etanol, o governo de MS reduziu de 25% para 20% o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do biocombustível e aumentou em cinco pontos percentuais o da gasolina. 

Mato Grosso do Sul é o terceiro produtor nacional de etanol, enquanto a gasolina consumida no estado vem de outras regiões.

Segundo o Governo, a diminuição do ICMS sobre o etanol, tinha como objetivo estimular a produção local, geração de emprego e renda e o uso de um produto de origem vegetal, limpo, ecológico, alternativo e renovável. O que não aconteceu.

FALA CONSUMIDOR

O estudante Eunatan Vieira, acha um absurdo os preços baixarem nas refinarias e não repassar para os consumidores. "As pessoas que precisam se locomover para entregar produtos, encomendas, até mesmo para lazer, ficam sem saída já que com essa crise financeira que o Brasil se encontra no momento, a população tende a ter menos condições pra pagar" disse.

A dona de casa Rosana Maria disse que para quem vive de aluguel e tem carro, esse reajuste que parece pouco, mas no final acaba se tornado muito. “Carro hoje em dia é quase um filho, além desses gastos com combustível, temos outras contas como IPVA, impostos e manutenção do carro”, disse.

“É um absurdo que os postos da cidade não repassem para o consumidor a baixa que aconteceu, pois quando acontece uma alta nos preços, somos os primeiros a ser penalizados com a situação. Pagamos tantos impostos, muitos deles absurdos, e ainda temos que pagar preços de combustíveis taxados pelos donos de postos locais, isso é uma vergonha”, desabafou um comerciante que preferiu não se identificar.

Funcionários de postos da Capital após serem perguntados sobre o motivo dos preços dos combustíveis serem mantidos, mesmo com a baixa, não souberam explicar, informaram apenas que, os valores colocados nas bombas, são repassados por ordem dos gerentes.

Ao questionar alguns gerentes de postos sobre o preço cobrado pelo litro na cidade de Campo Grande, os mesmo apenas informaram que também cumprem ordens, que são repassadas pelos donos dos postos, mas que acreditam em uma combinação feita pelos donos para que o valor cobrado pelo litro da gasolina seja o mesmo do que em todos os outros.

COMO DENUNCIAR NO PROCON

Todo cidadão que se sentir lesado em sua relação a possível preço abusivo nos postos de combustível do Mato Grosso do Sul, tem à disposição um número de telefone para denunciar. Basta discar 151 ou pelo site: http://www.procon.ms.gov.br/fale-conosco/

Fonte: Correio do Estado/Procon-MS/Petrobras

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.