'Que Câmara não siga o Senado', diz Bolsonaro sobre decreto das armas

Presidente afirma que decreto assinado por ele respeita o referendo das armas e garante legítimo direito à defesa
19/06/2019 18:20 Brasil
Decreto foi derrotado por 47 x 28 no Senado Federal / Foto: Marcos Corrêa/PR - 13.6.2019
Decreto foi derrotado por 47 x 28 no Senado Federal / Foto: Marcos Corrêa/PR - 13.6.2019

Minutos após ter o decreto das armas derrubado pelo plenário do Senado Federal, o presidente Jair Bolsonaro usou sua conta no Twitter para defender o texto que flexibiliza as regras para a posse e o porte de armas no Brasil.

"Esperamos que a Câmara não siga o Senado, mantendo a validade do nosso Decreto, respeitando o Referendo de 2005 e o legítimo direito à defesa", disse o presidente.

- Por 47 a 28, o Senado derrota nosso Decreto sobre CACs e Posse de Armas de Fogo. Esperamos que a Câmara não siga o Senado, mantendo a validade do nosso Decreto, respeitando o Referendo de 2005 e o legítimo direito à defesa.

Após o decreto não passar pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, os parlamentares analisaram nesta terça-feira (18) o PDL (Projeto de Decreto Legislativo) 233/2019, de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). 

Na votação, o texto pela derrubado do decreto das armas contou com o apoio de 47 deputados e recebeu 28 votos em defesa da flexibilização do porte e do posse das armas de fogo, promessa de campanha de Bolsonaro.

O parecer aprovado no Senado agora segue para a análise da Câmara dos Deputados, que pode efetivar a derrubada do decreto.

Fonte: R7

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.