Posse do novo ministro da Educação é adiada após fraudes em currículo

29/06/2020 14:48 Brasil
(foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
(foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Após o novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, ter o segundo título acadêmico em universidades fora do Brasil negado pelas instituições, o presidente da República, Jair Bolsonaro, adiou a posse dele para o cargo, marcada para esta terça-feira (30/6). Não há nova data.

 
Antes de confirmar que vá realmente haver posse, Bolsonaro exigiu checagem de currículo de Carlos Decotelli. Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Tribunal de Contas da União (TCU) estão investigando os demais títulos descritos por Decotelli no currículo.
 
Nesta segunda-feira (29/6), Decotelli teve o título de pós-doutorado Universidade de Wuppertal (Bergische Universität Wuppertal), na Alemanha, desmentido pela instituição. Na sexta-feira, o mesmo ocorreu com o título de doutorado que afirmava ter o currículo  disponibilizado na plataforma Lattes, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
 
SAIBA MAIS 11:32 - 29/06/2020 Sara Winter é pedida em casamento e fica noiva durante prisão domiciliar 08:29 - 29/06/2020 Gestão da crise do novo coronavírus "balança" bolsonarismo fiel
Há ainda uma suspeita de plágio na tese de mestrado defendida por Decotelli, em 2008, na Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio de Janeiro.
 
Decotelli foi anunciado como o terceiro ministro da Educação do governo de Jair Bolsonaro na última quinta-feira. Após publicar os principais pontos do currículo dele, as universidades citadas se pronunciaram sobre a falta de veracidade dos títulos.
 

Fonte: Maíra Nunes / Correio Braziliense

COMENTÁRIOS

Usando sua conta do Facebook para comentar, você estará sujeito aos termos de uso e politicas de privacidade do Facebook. Seu nome no Facebook, Foto e outras informações pessoais que você deixou como públicas, irão aparecer no seu comentário e poderão ser usadas nas plataformas do Itaporã News.